quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

TÉNÉRÉ - VAZAMENTO DE ÓLEO NO MOTOR

Um problema crônico que atingiu algumas centenas de Ténérés 250cc, foi a montagem errada de um anel O-ring responsável pela vedação de um duto do sistema de refrigeração de óleo. E isso se estende às Fazers e Landers, já que os três modelos compartilham o mesmo motor. Vários são os relatos desse problema, desde aqueles que apareceram com a moto tendo rodado menos de 10 mil km (e ainda dentro da garantia) até os que passaram dos 25 mil km.


Segundo o pessoal da Yamaha o problema foi resolvido nas motos a partir dos modelos 2015. A minha moto é de 2014 e assim que comprei ela percebi o problema nos primeiros 30 km, mas como o vazamento ainda estava muito pequeno achei melhor não abrir o motor até que o mesmo aumentasse. Na época ela estava com pouco mais de 28 mil km e o vazamento não passava de uma mancha no local próximo ao duto de óleo.

Agora, quase um ano depois o vazamento teve um aumento. Após 10 minutos de uso rodoviário já se forma um acúmulo considerável no lado esquerdo do motor e que chega até escorrer pela tampa lateral.


Desde então tenho observado constantemente para ver se não há nenhum aumento e verifico o nível de óleo a cada dois ou três dias. Pra falar a verdade esse negócio te deixa meio paranoico.

A princípio deve-se trocar o anel O-ring (responsável pelo problema) e consequentemente as juntas do cabeçote e do cilindro. Ainda tem o O-ring da tampa de comando e as gaxetas do tensionador da corrente de comando e do tubo de distribuição de óleo que talvez precisem ser trocados (pelo menos o manual indica essa troca), mas como esse serviço não precisa do motor aberto eu posso tentar manter essas peças e caso haja necessidade trocá-las posteriormente.


Diferente da troca do pinhão e das pastilhas, a substituição de componentes do motor deve ser feita sempre por peças originais. O motor é o coração da sua moto e como o nosso, merece todo cuidado. Por isso já comprei as peças e pretendo efetuar a manutenção o quanto antes.

4 comentários:

  1. Trocando a vedação resolve, por quanto tempo ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala brother!
      Cara, se o seu problema for o mesmo que o meu, vai resolver. Já tem um bom tempo que troquei e até hoje não apresentou nenhum problema.

      Excluir
  2. Todo motor vaza óleo. Seja de carro, seja de moto, trem, navio, avião... todos eles mais cedo ou mais tarde vazarão óleo.

    Há vazamentos normais que não representam nenhum risco, e vazamentos anormais que precisam ser consertados em curto prazo.

    Um vazamento que assusta muito o pessoal é o da junta da tampa do cabeçote.



    A junta da tampa do cabeçote é de borracha e está exposta a temperaturas bastante elevadas no motor, então é normal que se deforme e em pouco tempo comece a vazar óleo. Acredite, isso acontece até nas hoooonda.

    O pessoal fica encafifado achando que é o fim do mundo, mas é um vazamento que só traz prejuízos estéticos.

    A turma que não entende nada de Mecânica acha que isso é causado por excesso de óleo no motor. Não é.

    O óleo é bombeado para o cabeçote por um tubinho que tem no máximo 5 mm de diâmetro, e lá em cima no cabeçote tem um buraco de saída escancarado medindo 50 mm x 20 mm por onde passam as varetas ou a corrente de comando.

    Não existe possibilidade de o óleo ficar retido no cabeçote e isso causar pressão ou vazamentos pela junta da tampa do cabeçote.

    Mas tenta explicar isso para o pessoal...

    Um vazamento comum, também sem gravidade, é pelo eixo de acionamento da embreagem. O retentor ou anel de vedação se desgasta e uma pequena quantidade de óleo começa a aparecer sobre a tampa lateral — não precisa arrancar os cabelos por causa disso, o único dano é estético.

    Outro desses vazamentos que assusta muito o pessoal é o da junta do cilindro, aquela que vai entre carcaça do motor e a base do cilindro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Marcos.
      Valeu pelas informações. E concordo com você, mais cedo ou mais tarde haverá algum vazamento. Isso é natural e o equipamento foi projetado para isso. No meu caso, fiz o acompanhamento do nível durante um tempo e como estava baixando realizei a troca.

      Vou fazer um post em cima do seu. Você é mecânico?

      Grande abraço e nos vemos nas estradas.

      Excluir