quarta-feira, 14 de outubro de 2015

TESTE - VELA IRIDIUM + CABO IBOOSTER F1 #02

Como disse anteriormente, fiz os testes com a vela de iridium e o cabo iBooster. Os resultados e as impressões que tive foram os seguintes:

Mas antes dos resultados algumas informações devem ser levadas em consideração:
-Como tinha uma semana para testar a moto antes da revisão, eu fiz cada teste durante dois dias;
-O percurso (40km) foi o mesmo todos os dias e sempre com a mesma tocada;
-O teste de top speed foi feito em um longo trecho de reta sem colocar em risco a segurança (não costumo andar nessa velocidade, nesse caso foi só pra testar mesmo);
-Para fazer as médias a moto foi abastecida sempre no mesmo posto, com gasolina aditivada (Shell V-Power), e o tanque completo sempre na mesma altura.
-A média geral que tenho da Ténéré no período que estou com ela é de 28,18km/L.

1-Trocar somente a vela

-Melhorou sim a partida a frio, mas nada que uma vela comum nova não dê conta;
-Aumento de torque até a faixa dos 4.000 RPM, o que proporciona uma diminuição nas trocas de marcha dentro da cidade (traduzindo, eu consigo rodar com uma marcha mais alta, com baixa rotação. É uma diferença perceptível, mas nada que faça a moto voar;
-Melhora nas retomadas em 5° marcha. Se teve uma melhora, mesmo que pequena no troque, é obvio que vai melhorar na retomada;
-Velocidade final não sofreu alteração (entre 130km/h e 133km/h);
-O consumo ficou em 28,74km/l.

2-Colocar o cabo iBooster entre o cabo original e o cachimbo (é o que o fabricante do cabo recomenda)

Antes de falar sobre os resultados, vou dar uma pincelada sobre a montagem.

Primeiro, desconecte o cachimbo da vela e do cabo de vela do cachimbo. Essa ponteira de metal deve ser retirada do cabo original e colocada no cabo iBooster.


No cabo original conecte a outra extremidade do iBooster. Vale lembrar que tanto a ponteira, quando a conexão do iBooster possuem rosca.


Com os cabos devidamente conectados, monte novamente o cachimbo.


Com essa configuração, o que deu para perceber foi:
-Melhora na partida, aumento de torque, melhora nas retomadas (igual no primeiro teste);
-Acima dos 6.000 RPM, a moto embola a aceleração . Dá umas engasgadas (igual moto com carburador sujo ou quando a gasolina é ruim) e não atinge o top speed (chegou nos 123km/h com muito custo). Aparentemente aconteceu o previsto, e o cabo mais longo atrapalhou no resultado final;
-O consumo também foi um pouco prejudicado em relação ao anterior. Ficou na casa dos 27,03km/l.

3-Retirar o cabo original e colocar o iBooster direto na bobina

Como havia dito anteriormente não sabia se teria como retirar o cabo original da bobina, então pra ver isso tive que desamontá-la.

Pra retirar a bobina é bem simples. Primeiro você deve retirar a buzina, pois ela está na frente.


Feito isso é só retirar a bobina. Com uma chave combinada 10mm você consegue desmontar. O parafuso que fixa ela, é longo e tem uma porca por dentro do chassi, então você deve segurá-la com a mão enquanto desenrosca com a chave.


Com a bobina em mãos e para confirmar aquilo que eu não queria, vi que o cabo não sai. Ela não tem aquela rosca que é comum. Parece blindado, então não forcei para não danificar e ter algum prejuízo maior. Mas o que fazer? Resolvi cortar o cabo original e colocar o iBooster. O único risco que eu tinha era ter o mesmo resultado do segundo teste, e como solução era emendar o cabo original de volta (o que não prejudica em nada a moto se for bem feito). Observe que no local da fixação do iBooster no cabo original eu passei fita isolante para evitar a entrada de água.


Nesse terceiro teste os resultados foram:

-As melhorias na partida, torque e retomadas se mantiveram;
-A velocidade final teve uma pequena (pequena mesmo) melhora mas nada demais, até porque não acredito que isso vá trazer alguma vantagem (entre 132km/h e 135km/h);
-E o consumo ficou em 29,02km/l.

Os resultados obtidos no primeiro e terceiro testes foram bem parecidos, sendo que o terceiro teste teve uma melhora no consumo e na velocidade final de 1% e 1,5% respectivamente. Ou seja, nada significativo. O que indica que esse cabo é apenas "colorido" e não cumpre o que promete, mas esse foi um risco que eu sabia que iria correr quando comprei.

Agora com a moto revisada vou fazer um teste de uma semana com o iBooster e mais uma semana com o cabo original para uma comparação final. Mas se fosse dar uma opinião sobre o uso desses componentes (vela iridium + cabo iBooster) hoje, eu diria que apenas a troca da vela é suficiente. E lembrem-se, não estou visando melhora de performance e sim melhoria de autonomia e vida útil.

Daqui a duas semanas posto se houve alguma melhora na moto depois da revisão e como foram os testes finais com os cabos.

17 comentários:

  1. Primeiramente gostaria de parabenizar seu blog, conheci por acaso e achei muito bom! Em segundo lugar gostaria de saber como vc colocou o ibooster diretamente na bobina. Vc colocou diretamente mesmo na bobina ou deixou um pedacinho do cabo original e colocou o ibooster nesse pedacinho? Aguardo retorno. Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Rafael. Muito obrigado cara!
      Sobre o iBooster, como eu disse no post o cabo original não sai. Eu cortei ele bem próximo a bobina (deixei uns 15mm) e emendei no iBooster. Dá uma olhada na última foto do post que você consegue ver o pedacinho do cabo preto (original) com uma fita isolante.

      Não sei se você leu, mas aconselho a leitura desse post aqui com o resultado final, onde falo de vale a pena ou não colocar o cabo.

      http://barbadosbrotherhood.blogspot.com.br/search/label/XTZ%20250%20T%C3%A9n%C3%A9r%C3%A9%20-%202014

      Grande abraço e nos vemos na estrada!

      Excluir
    2. O link ai em cima está errado. Vai te jogar em um monte de postagens.

      Segue o link direto.

      http://barbadosbrotherhood.blogspot.com.br/2015/12/teste-vela-iridium-cabo-ibooster-f1-03.html

      Excluir
    3. Li sim! Na verdade só tomei coragem de comprar o ibooster por causa dos seus posts com os testes feitos. Achava que esse cabo era lero lero, mas como vc ganhou um pouquinho de performance, achei que valeria a pena comprar então.

      Quanto a minha pergunta anterior é o seguinte, quando vamos colocar o cabo ibooster da forma normal como recomenda o fabricante é só "rosquear" o ibooster no cabo original. Agora, quando se corta o cabo original bem próximo da bobina(como vc fez) é só "rosquear" o ibooster da mesma forma naquele buraquinho tb? Digo, n muda nada no procedimento? Abs

      Excluir
    4. Então, ele funciona mas como você pode ver no post final eu falo que acho não valer a pena pelo valor que é vendido.
      Em relação a montagem é isso mesmo. Tanto com o cabo inteiro quanto cortado é só rosquear que está pronto. E não esqueça de isolar a parte em que é rosqueado para não entrar água.

      Excluir
  2. Vc teve melhora no consumo, melhora na retomada e melhora na velocidade final. Não entendo como mesmo assim disse que não vale a pena. Ao meu ver, vale sim!hehe.

    No teste do ibooster com o cabo original, vc disse que sentiu o motor "embolar" em certa faixa de rotação. E com o cabo ibooster próximo da bobina? Melhorou?? Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive sim uma melhora, mas é muito pequena ao meu ver. Entende?

      É algo que no dia-a-dia vai fazer pouquíssima diferença. Por isso eu acho que não valha tanto a pena e como falei nos posts o intuito era testar de todas as maneiras possíveis e ver a melhor configuração de uso.

      É, embolou mesmo. Acho que pelo fato de ter dobrado o tamanho do cabo a energia que chegava na vela era menor e consequentemente uma centelha menor. Isso deve ter gerado esse "engasgo". Então, com o cabo próximo da bobina foi a "melhor o resultado".

      Excluir
    2. Mas então o "engasgo" sumiu completamente? Abs

      Excluir
    3. Sim. Estou rodando com o iBooster direto na bobina desde então. Ate hoje não tive nenhum problema.

      Excluir
  3. Finalmente o post que eu tanto procurava!
    Nego só tava emendando os cabos um no outro, o que só aumenta a resistencia total do cabo!
    Obrigado e parabéns pela sua metodologia!

    ResponderExcluir
  4. Então o que vc está dizendo é bem claro, a vela de IRIDIUM funciona de fato! Já o cabo IBOOSTER, esse não funciona.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite amigo. Aconselho a leitura da terceira parte dos testes. Não é só uma questão de funcionar ou não, mas também de custo X benefício.

      Segue o link:

      http://barbadosbrotherhood.blogspot.com.br/2015/12/teste-vela-iridium-cabo-ibooster-f1-03.html?m=1

      Excluir
  5. blz, satisfacao amigo voce poderia dizer de que lado ficou a seta do ibooster pra baixo ou pra cima tirei a cabo perdi referencia minha intruder aconteceu de engasgar e tive que tirar agora vou testalo novamente pondo ele proximo bobina,grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ai Lincoln, desculpa pela demora. Cara o meu tá com a seta para baixo, ou seja, no sentido que a corrente passa por ele que é da bobina para a vela.
      Espero que tenha ajudado.

      Excluir
  6. Cara vlw pelas dicas, vou comprar só a vela de iridium "Dr8eix" o cabo ibooster vou deixar de lado pois vi muita complicação e pouco benefício além de não gostar de emenda em cabo "a moto é zero" e cortar cabo e emendar entoar como gambiarra, só a vela já ajuda na partida à frio e na econômia de combustível!! Vlw abraços.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia!!! Como disse o Ronaldo: "o POST que eu procurava"!!! Parabéns pelo tempo, dedicação e paciência para compartilhar seus resultados! Comprei o kit é comecei a ver os vídeos de instalação no YouTube e só conseguia pensar: "fui enganado... Como um cabo pode melhorar performance, ainda mais alongando o curso dele?"!!! Vou fazer o que você fez no teste 3 para não me sentir tão lesado na compra do "cabo colorido". Abraços e parabéns.

    ResponderExcluir